A Simulação Paraibana de Ensino Médio – SIPEM – é uma iniciativa pioneira na Paraíba, promovida pela Academia Nacional de Estudos Transnacionais (ANET). O projeto consiste em um modelo de organizações internacionais direcionado aos estudantes de Ensino Médio da Paraíba, com o objetivo de oferecer-lhes conhecimento e experiência em diferentes temáticas de relevância internacional, bem como despertar o interesse pelo Direito e pelas Relações Internacionais e permitir o aprimoramento das técnicas de retórica, argumentação e oratória.

Após o sucesso de sua três primeiras edições, promoveremos, em 2017, com muito orgulho, a IV SIPEM. Amparada no impacto positivo dos projetos anteriores, a SIPEM contará com quatro comitês: o Conselho de Segurança das Nações Unidas, simulando o ano de 2002, cuja temática é “A resposta definitiva à questão do Iraque”; a Conferência de Paz de Paris, simulando o ano de 1919, com a temática “A redefinição geográfica do espaço europeu e as perspectivas para o Direito Internacional”; o Conselho Europeu “Consilium”, de temática “Os efeitos da saída do Reino Unido da União Europeia e as relações comerciais com a Rússia”; e, pela primeira vez, o Comitê de Imprensa Internacional.

Contamos com o apoio e a participação de todos!

Saudações modeleiras,

O SECRETARIADO DA IV SIPEM

Eduardo Cavalcanti de Mello Filho
Secretário-Geral

Beatriz Moura Dias
Vice-Secretária-Geral

Lucas Cavalcante Gondim
Secretário Acadêmico

Viviane Gomes Vinagre
Secretário Acadêmico

João Victor Porto Jarske

Secretário Administrativo

Letícia Almeida Montenegro

Secretária Administrativa

Matheus Ribeiro
Secretário Administrativo

Na IV SIPEM serão simulados os seguintes comitês:

Conferência de Paz de París

“A redefinição do espaço geográfico europeu e as perspectivas para o Direito Internacional”

O Século XX foi marcado por revoluções e mudanças cruciais para o entendimento da Diplomacia e das Relações internacionais. Desde suas primeiras décadas, vários eventos marcaram e modificaram todo o Concerto de Estado Europeu. Logo no início dos anos 10, o barril de pólvora em que a Europa se encontrava acabou explodindo com o assassinato do herdeiro do trono Áustro-hungaro, Francisco Ferdinando. Tal acontecimento, alinhado com revanchismos e uma série de tratados secretos, acabou levando ao que se conheceria por Primeira Grande Guerra.
Depois de quatro longos anos de uma verdadeira carnificina, os países aliados conseguiram superar as Potências Centrais e venceram o conflito. Como de costumes nas guerras, os países vitoriosos se reuniram para definir os termos de paz para as Potências Centrais, que foram derrotadas, seguidos por um armistício. Assim como o nome indica, o seu acontecimento foi em Paris e recebeu delegações vitoriosas do mundo todo.
Embora o objetivo principal fosse definir os termos de paz, a Conferência de Paris também abrangeu diversos outros tópicos, sendo a criação da Liga das Nações um dos principais.
Após a sua ocorrência e surgimento de novas Organizações, o modo de se fazer diplomacia nunca mais foi um mesmo, tendo a Conferência, como seu Marco Inicial, o sistema de Organizações Internacionais, que vigora até hoje, em especial com a ONU.
Para repensar acontecimentos de extrema importância para a história da Diplomacia, convidamos todos e todas a participarem do comitê da Conferência de Paz de Paris, cabendo a cada participante o importante papel de reviver a história, podendo segui-la ou reforma-la. Seja testemunha do passado e anunciador dos novos tempos!

Diretores:

Matheus Galiza

Luana Fontes

Luíza Ribeiro

Pedro Henrique Guerra

Conselho de Segurança das Nações Unidas

“Resposta definitiva à questão do Iraque”

Após a Guerra do Golfo, a maior mobilização de recursos humanos e de materiais desde o final da Segunda Guerra, o Iraque sofreu severas sanções das Nações Unidas. O país foi intimado a destruir todo o seu arsenal bélico nuclear, biológico e de mísseis de longo alcance, de forma supervisionada por inspetores internacionais.
Há ainda uma longa discussão sobre a veracidade do cumprimento das sanções por Saddam Hussein, e os ataques de 11 de setembro de 2001 terem sido considerados pelo Iraque “frutos dos crimes dos cowboys americanos contra a humanidade” acirraram as divergências entre tal governo e a comunidade internacional.
Os esforços diplomáticos do Conselho de Segurança já aprovaram 17 resoluções desde o conflito do Golfo, novos dados surgem sobre as inspeções e sobre as armas biológicas, e há a necessidade de uma resposta definitiva dos membros quanto à questão. Entretanto, interesses econômicos e políticos e as bases da diplomacia contemporânea estão em jogo.
As cartas foram lançadas, e os delegados devem decidir entre uma solução diplomática e uma intervenção militar. Um conflito iminente que pode deixar marcas profundas no tenso Oriente Médio, com uma enorme quantidade de refugiados e de problemas humanitários, e uma possível controvérsia.

Diretores:

Fábio Antônio Serra

João Pedro Maia

Isabella Andrade

Maria Heloísa Vilhena

Efraim Veras

Conselho Europeu

“Os efeitos da saída do Reino Unido da União Europeia e as relações comerciais com a Rússia”

A Europa, historicamente, vivenciou diversas tentativas de unificação. Lideranças recentes, ainda que controversas, como Napoleão (1769-1821) e Hitler (1889-1945), empreenderam projetos em prol da unificação do continente. Entretanto, suas tentativas esbarram na mesma parede que parou os romanos, Atila (O Huno), Carlos Magno e outros: a força dos exércitos não foi capaz de unificar a Europa. Uma estruturação efetiva do continente apenas demonstrou viabilidade através de uma adesão voluntária e livre dos cidadãos europeus.
Só o poder financeiro foi capaz de unificar a Europa, iniciando pela Comunidade Europeia do Carvão e do Aço, passando pela Comunidade Econômica Europeia e finalmente chegando à União Europeia. A capacidade dessas organizações ao longo do tempo foi transcendendo meramente a esfera econômica e tomando caraterísticas mais políticas, gerando uma verdadeira “Frente Única Europeia”, contendo em si as maiores “potências” políticas e econômicas do continente, e buscando defender os interesses gerais europeus perante o mundo globalizado.
Todavia, desde sua adesão, vozes contrárias à participação do Reino Unido na UE se fizeram presentes. O país entrou tardiamente na CEE e não fez parte do Tratado de Maastrich que criou a zona do euro e moeda única. Contudo, foi somente em dias atuais que essas vozes ganharam mais força, impulsionadas, entre outras coisas, pela “ameaça dos migrantes ao sistema de seguridade social e às conquistas do welfare-state do pós II Guerra. ”, e conseguiram o Brexit.
Mais uma vez, a unidade europeia encontra-se sob ameaça, rumores de fragilização encontram-se no ar, e o Brexit talvez seja o primeiro de muitos processos de saída, criando um dos momentos de maior tensão política dos últimos tempos, pois, quanto ao futuro, só existem suposições.

Diretores:

Hadassa Silveira

Pedro Augusto

Matheus Torres

Joana Lourenço

Comitê de Imprensa Internacional

Diante de três ocasiões de relevância internacional – a reunião das potências vencedoras da Primeira Guerra Mundial, de modo a definir os termos da paz; a iminência de uma intervenção militar no Iraque e os efeitos da saída do Reino Unido da União Europeia – a Simulação Paraibana da Ensino Médio convida os secundaristas que têm interesse em jornalismo e comunicação a vivenciarem quatro intensos dias de acompanhamento e cobertura das decisões e conflitos oriundos das referidas ocasiões e seus vertiginosos efeitos no panorama das relações internacionais. Por meio da realização de entrevistas, tablóides, elaboração de jornais impressos e divulgação das situações de crise, os membros do Comitê de Imprensa Internacional terão a oportunidade de enxergar os impactos da informação em um mundo globalizado, bem como as reações diante de notícias tendenciosas. Além disso, serão o canal de difusão de todas as decisões emanadas durante três eventos que, embora distintos, representam semelhante repercussão global

Diretoras:

Bruna Cairo

Gabriela Garcia

 

GUIA DE REGRAS 

GUIAS DE ESTUDO:

 POST CS

Guia do Conselho de Segurança das Nações Unidas

Para ter acesso ao guia anexo com o posicionamento dos países, clique aqui

 IMG_8331

Para ter acesso ao guia anexo com o posicionamento dos países, clique aqui

Conselho Europeu (Consilium)

CE Banner

Para ter acesso ao Anexo ao Guia do CONSILIUM, com a lista de delegações e posicionamentos, clique aqui.

 

PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR

3 DE MAIO (QUARTA)
19h: Workshop de Abertura da IV SIPEM

4 DE MAIO (QUINTA)
Em definição

5 DE MAIO (SEXTA)
Em definição

6 DE MAIO (SÁBADO)
Em definição

OBS:

A definição do horário será uma adaptação aos horários das escolas que tiverem mais alunos inscritos.

O local de abertura ainda será definido. A simulação, entre os dias 4-6 de maio, ocorrerá na Faculdade Devry João Pessoa, por detrás da subestação da Energisa, na Av. Ruy Carneiro
R. Orlando Soares de Oliveira, s/n – Miramar, João Pessoa – PB, 58032-083

Mais informações em breve

 AS INSCRIÇÕES PARA A IV SIPEM ESTÃO ABERTAS

CASO AS INSCRIÇÕES SEJAM ENCERRADAS, UMA SEGUNDA RODADA DE INSCRIÇÕES SERÁ ANUNCIADA
APÓS O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO, É NECESSÁRIO QUE HAJA O PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO E O ENVIO DO COMPROVANTE PARA SIPEM@PORTALANET.COM. AS INSTRUÇÕES SERÃO PASSADAS POR E-MAIL.

 

 

Conferência de Paz

 

Conselho de Segurança 

 

Conselho Europeu

 

Comitê de Imprensa 

 

Tem alguma dúvida, sugestão, elogio ou reclamação? O Secretariado da SIPEM terá prazer em ajudá-lo!

Você pode enviar uma mensagem para o email sipem@portalanet.com

Encontre-nos no Facebook: www.facebook.com/sipemoficial

 

Ver Edição de 2015
Ver Edição de 2014