“Embora a preocupação com o desenvolvimento sustentável das atividades agrícolas tenha surgido em meados da década de 1970, ocasião em que análises acerca das estratégias utilizadas pela agricultura moderna (resultante do processo que ficou conhecido por Revolução Verde) demonstraram sérios danos ambientais, ainda hoje parte considerável dos alimentos produzidos no mundo está dissociada da adoção de práticas sustentáveis. (…)

Assim, a busca por soluções que propiciem o desenvolvimento sustentável e a produção sustentada de alimentos requer, para sua efetividade, o comprometimento não apenas do Poder Público no estabelecimento de políticas públicas adequadas, como também o engajamento do setor agroindustrial, das organizações internacionais governamentais e não-governamentais e da sociedade civil.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável apresenta esse tipo de abordagem, na medida em que propõe o engajamento de multistakeholders para solucionar os principais desafios de desenvolvimento enfrentados na contemporaneidade.”

Confira a coluna desta semana sobre a implementação do ODS 2 e a agricultura sustentável no Brasil. Faça o download do texto aqui