O Conselho da União Europeia é um dos órgãos decisórios de maior importância e atuação da União Europeia.O seu nível mais elevado de discussões é composto por todos os países-membros da União Europeia, representados, cada um, por um ministro com competência para discutir o tema da pauta, em geral o Ministro de Relações Exteriores, tendo em vista que a ele cabe a incumbência de representar seu Estado em organizações internacionais.

O Conselho da União Europeia se apresenta como um ponto de convergência de anseios nacionais, o que o define como um verdadeiro órgão comunitário. Ou seja, durante suas deliberações, não há a intenção clássica de representar apenas interesses nacionais e moldá-los aos demais interesses, mas, e sobretudo, há a busca pelos interesses gerais, tanto dos nacionais europeus como das instituições europeias, ainda que os interesses nacionais precisem ser, para tal,sacrificados.

No II ENOMUN/SiNOMUN, o Consilium será simulado em duplas, por alunos do Ensino Médio, com as seguintes temáticas:

     TEMA A: A crise diplomática entre Rússia e Ucrânia.

A Ucrânia atravessava um grave problema social desde 2013, quando o então o Presidente Viktor Yanukovich desistiu em 21 de novembro de assinar um acordo de livre comércio com a União Europeia o que levaria a uma reaproximação governo de Kiev com a Rússia, antigo parceiro. Desagradando grande parte da população, que em 24 desse mesmo mês saíram às ruas para protestar.

Em 22 de fevereiro de 2014 o presidente Viktor Yanukovich é destituído e assim criado um novo governo pró-União Europeia e anti-Rússia, o que acirrou as tensões separatistas na Criméia, de maioria russa. Em 16/03/2014 a Criméia realiza um referendo aprovando a adesão a Rússia e assim o governo de Vladimir Putin incorpora ao território Russo a Região da Criméia.

     TEMA B: Desafios e perspectivas do crescimento econômico na Europa.

A União Europeia representa atualmente um modelo de integração supranacional, em que países cedem um considerável espaço de sua soberania, com o fito de avançar nos mais diversos setores, como social, político e econômico. Trata-se de uma escolha política antes inimaginável, uma vez que a formação de Estados Nacionais com o ideal absoluto de soberania ocorreu – em termos históricos – ainda ontem.

Atualmente, um dos maiores obstáculos encontrados dá-se entorno da união monetária. A adoção da moeda única, o Euro, retira de países de economia mais frágil, o controle cambial, que permite uma maior valorização ou desvalorização da moeda. Assim, em um momento de crise, como aquela iniciada em 2008, não há a possibilidade de desvalorização da moeda local para tornar mais competitivos os produtos nacionais e facilitar exportações.

Ainda nesse contexto, o desemprego e a desaceleração industrial em determinados países europeus, como se verá a seguir, alcança níveis alarmantes que podem prejudicar a totalidade dos países envolvidos. Como consequência natural, as desigualdades regionais se tornam ainda mais evidentes.

As inscrições para o II ENOMUN/SiNOMUN serão abertas no dia 02 de março! Esperamos vocês no Consilium!

enomun

Anexos